sexta-feira, 24 de maio de 2013

Deficit de atenção


Normalmente não gosto muito de falar na minha vida privada aqui no blog, acho que a devemos preservar. Mas estou com tantas dúvidas, quem sabe alguém me possa ajudar.


O meu filho está a ser seguido pois suspeita-se de deficit de atenção sem hiperactividade. A minha dúvida está na medicação que ele vai ter de tomar, leio tanta coisa na internet, uns a favor outros contra...


Eu também sou um pouco contra tomar químicos, mas falam tanto nos benefícios. As notas dele têm sido tão baixas e sei que ele sofre com isso, só que tenho medo dos efeitos da medicação a longo prazo.

Há por aí alguém na mesma situação que me possa dar uma luz?

23 comentários:

Maria João disse...

Olá minha querida,

Não te posso ajudar, mas gostava de saber como foi que lhe diagnosticaram o problema, é que por vezes, com o meu filho, acho que algo não está bem.

Se quiseres e poderes, podes enviar um e-mail para koisasgiras.mjf@gmail.com

Obrigada, bjs e bom fds,
MJ

Joana disse...

Boa tarde Carla,
Leio o seu blog via feedly e acho que posso ajudar. O meu irmão foi diagnosticado ainda no ciclo primário com défice de atenção, hiperactividade e dislexia e foi seguido durante cerca de 10 anos num centro médico especifico (CADIn, na região da Grande Lisboa).
A dose do medicamento - ritalina - foi adaptado à idade dele e os potenciais efeitos secundários, no caso principalmente as alterações cardíacas, apetite e criatividade, foram seguidos muito atentamente. Penso que terá começado com 24 mg por dia ou até menos, adaptados ao peso e à gravidade do caso. Como o seu filho não tem os mesmos sintomas, a medicação e/ou dose podem ser diferentes; a melhor pessoa a quem perguntar será o médico especialista, que terá a informação mais actualizada na matéria.

Como irmã mais velha, posso dizer-lhe que vi modificações graduais muito importantes: o meu irmão simplesmente não conseguia ficar sentado a fazer os trabalhos de casa, sem estar a falar ou a querer fazer acrobacias, deixar cair coisas ou ficar sem vontade para terminar as acções. Passou desta situação para um aluno motivado sem perder a sua personalidade. Claro que havia dias em que o médico autorizou a ausência de tomas - férias e fins-de-semana.
Depois de 10 anos de tratamento, o meu irmão vai licenciar-se na área que escolheu e deixou de tomar o medicamento em Janeiro por opção própria sem efeitos prejudiciais.

O que é preciso é que o seu menino se sinta bem e, por inerência, que o mesmo aconteça com toda a família! Espero ter ajudado.

Bom fim-de-semana,
Joana Pereira

Maria Paula disse...

Olá
Uma vez que pediu a opinião aqui fica a minha.
Não será de rever o tipo de vida do seu filho? Por exemplo: terá as horas de sono suficientes?Passará demasiado tempo "agarrado" a computadores e afins? Tem uma rotina diária organizada? Não terá excesso de atividades extra curiculares?
Por vezes há fatores organizacionais que se refletem bastante na capacidade de atenção das crianças.
Desejo-lhe que tudo corra pelo melhor.

Poupadinha disse...

Joana:
Obrigada por partilhar a história do seu irmão.
A médica só aconselhou a toma da medicação em dias de escola, mas o meu receio era que a medicação lhe pudesse trazer algum tipo de dependência.

Maria Paula:
O meu filho dorme bem, como uma pedra, não tem actividades extra-curriculares, tirando o apoio ao estudo que começou à pouco devido às notas baixas.
A verdade é que passa muito tempo na televisão e computador, mas estamos a tratar disso, a pedido dele vamos inscrever-lhe nos escuteiros, vai ser bom para ele socializar e sair mais de casa.

Anónimo disse...

Só uma sugestão:
Seria importante que, em conjunto com o médico especialista, o filhote tivesse acompanhamento psicológico, que promoverá estratégias de controlo e métodos de estudo...
:)

Joana disse...

De nada. Por lapso enganei-me no seu nome e peço desculpa, Poupadinha. Espero que corra tudo bem!

HAZEL disse...

Poupadinha, porque não consideras dar-lhe florais de bach para estimular a concentração, antes de partires para os medicamentos?
Os florais são naturais, e embora levem bastante tempo até se notar melhorias palpáveis, pelo menos, não fazem mal à saúde.

Poupadinha disse...

Hazel:
Sempre tive a ideia que os florais são fraquinhos. O que é certo é que há muita gente que recorre a eles.
Também já li que a l-tirosina, um aminoácido, pode aumentar os níveis de dopamina e assim aumentar a concentração, só não sei se lhe posso dar e que dosagem.
Mas quanto aos florais até lhe podia dar agora nas férias. É uma hipótese, obrigada.

Anónimo disse...

Olá
Como pediu opiniões, vou dar, mt sinceramente. Se fosse meu filho, não dava. Sou professora e verifico que atualmente se usa e abusa desses fármacos.Tenho familiares psicólogos que tb desaconselham. Sugiro antes, um bom acompanhamento psicológico. Decerto resolverá. Enquanto não começar, tente analisar o que pode melhorar na rotina e hábitos familiares.
Boa sorte!

Anónimo disse...

Olá.
Sinceramente não sei ajudar. Mas vim ler os comentários porque me pareceu que eu poderia aprender alguma coisa. Gostei especialmente da ideia dos escuteiros. A sério! Não vai trazer milagres, obviamente, mas toda aquela forma de trabalhar dos escuteiros poderá ajudar, complementando com outras mudanças.
Boa sorte!

Claudia disse...

Querida, estamos juntas nessa. Minha filha teve o mesmo diagnóstico e fiquei vários anos ( hj ela está com 15 anos)entre neurologistas, psicólogos, fonoaudiólogos,etc.Tudo isso acompanhado de muitos exames.Durante muito tempo foi tratada com Ritalina que, no caso dela, mostrou-se ineficaz, justamente por ela não ter a hiperatividade.Ou, segundo os especialistas, ter um "hagazinho" que nao devia ser considerado.Atualmente ela toma Concerta e faz terapia de neuro feedback. É outra pessoa. Boa sorte a vcs :)

PINTA ROXA disse...

Não sei nada sobre o assunto, espero que consigas tomar a decisão certa para voçês, mas penso que a ajuda de medicamentos fazem-nos um bem enorme, falo por mim, que seria da minha sanidade mental se não tivesse ajuda, andaria sempre a chorar pelos cantos...
Para as minhas filhas e para mim sempre que os médicos acham bem, eu confio neles.

Ana D. disse...

Olá,

fui esta semana a uma formação acerca de um outro problema e tocou-se neste assunto muito levemente e de forma rápida. Um dos conselhos que foi dado para o deficit de atenção e hiperatividade foi reduzir as doses de açucar e disseram ainda que a ritalina é o medicamento mais receitado, mas não o mais adequado.
A ação de formação não era sobre isto e portanto não sei muito mais sobre o assunto, de qualquer forma aconselho a consultar sempre mais do que 2 médicos para se certificar do diagnóstico e para não correr o risco de medicar de forma exagerada o seu filho.

Espero que tudo corra pelo melhor a acima de tudo não deixe que pressionem o seu filho com os resultados escolares mais baixos.

Anónimo disse...

Veja o livro GAPS da dra. Natasha Campbell-McBride. Ele ajuda a tratar e a curar doenças como essa com dieta. Retirar o gluten é um começo. Conheço caso de um rapaz que teve uma mudança espectacular e sem medicação apenas com a introdução da dieta paleolítica. Leia aqui: paleononpaleo.com/paleo-diet-behavioral-issues-children/

Boa sorte, as melhoras.

Especialmente Gaspas disse...

Evita ao máximo os medicamentos. Não tenho experiencia no assunto, mas pq não tentas um desporto que ajude a concentração. Em casa tb podes fazer jogos e actividades com ele. Melhorar a alimentação dele reduzindo lacteos e trigo, ...

Poupadinha disse...

Gaspas:
Já pensei no ioga, dizem que é muito bom para a concentração...

Maria João disse...

Olá minha querida,

Aqui estou eu novamente, vim aprender com os comentários.

Quanto a um desporto, penso que o judo é bom, o meu filho andou durante um tempo, mas com as constantes idas do pai para Angola (penso que esta também é uma das razões da instabilidade) e eu sozinha com os 2, não consegui manter a actividade.
Ele toma todos os dias de manhã, um multi-vitamínico que tem uma elevada concentração de Ómega 3, que melhora a atenção e comportamento e o funcionamento dos neurónios, o “Eu Kid”, eu noto alguma diferença, mas de vez em quando faço um intervalo na toma, pois parece-me que desta forma, faz mais efeito.
È um produto natural e aconselhado pela pediatra, segundo ela, dos melhores que por ai andam. Também por conselho dela, nos dias de testes, ele antes de sair de casa bebe café, para o deixar mais desperto e atento, este é o princípio da homeopatia (semelhante pelo semelhante se cura), pode parecer estranho, geralmente o café excita ainda mais, mas a verdade é que quando sei que vai ter teste e lho dou de manhã, as notas fazem diferença.


Um grande beijinho e que tudo corra pelo melhor.

PS: O Pediatra de desenvolvimento de que te falei no e-mail é o Dr. Armando Fernandes, podes pesquisar sobre ele na net, se precisares do contacto dele, diz.

Poupadinha disse...

Maria João:
O meu filho já toma ómega 3 há algum tempo,mas essa do café... não sabia.
Vai passar a tomar café, vai,vai.=P

Anónimo disse...

Leia este artigo:
http://actualidad.rt.com/ciencias/view/95483-psiquiatra-descubrio-tdah-enfermedad-ficticia

Sofia Santos disse...

Olá poupadinha!!!
Eu sou mais pelo natural e os florais são excelentes a minha filha toma para a ajudar na concentração.Por vezes a hiperactividade está ligada a alimentação nomeadamente excesso de açucares refinados, bolos, bolachas, cereais, sumos, leite achocolatado... Faz uma pesquisa na net sobre este assunto. Yoga é exclente!!! Que corra tudo pelo melhor!!

sandy disse...

Meu filho foi lhe deitado defice de atenção, defice de concentraçao, falta de memoria a longo prazo e hiperatividade. Ele tem 5 anos e meio e infelizmente isto tudo tem lhe afetado no desenvolvimento intelectual. Ele tem tomado umas pastilhas que supostamente iria ajudar. o 1º mes notei uma ligeira melhoria mas agora parece tudo igual. Mesmo coisas do dia a dia temos por vezes que explicar como se fosse a primeira vez. Ele vai ter que fazer +1 ano na pré porque nao tem capacidades em ir para a primaria nao é facil p ele pois ja notou diferenças entre ele e os outros. A mim os medicos falaram me que aos 6 anos ira fazer novos exames para ver relativo à medicaçao.

Anónimo disse...

Boa tarde, que tal experimentar um dieta sem gluten.

Belinha disse...

Olá Poupadinha, li o seu artigo e encontro-me exatamente com as dúvidas sobre os fármacos. O meu filho tem 8 anos e recentemente foi-lhe diagnosticada hiperatividade com predominância do défice de atenção. A minha dúvida quanto à toma dos medicamentos receitados, é muito grande e ainda não consegui administra-los. Será mesmo que esta medicação é a solução?? ou a única?

Related Posts with Thumbnails